Internacionalização – Moçambique De 20 de Outubro a 9 de novembro 2019

A convite do Teatro Avenida/Grupo Mutumbela Gogo, o Trigo Limpo teatro ACERT irá participar no programa “II Ahoje é Ahoje”, projeto de que foi co-promotor em 2008.
Esta edição tem como princípio, um conceito que era tão querido de Nelson Mandela, ”Ubuntu”. Uma palavra que deriva de uma noção usada nas línguas Bantu, dificilmente traduzível. “Eu sou porque nós somos” poderá representar um dos muitos sentidos em que assenta esta visão cultural de abertura para com os outros. Fraternidade, respeito pela diferença, ética e cortesia… contrariando o individualismo egoísta que está destruindo os mais elementares valores humanos.
Este programa será ainda ocasião para contactar com uma escola do ensino básico da cidade da Beira, com vista ao estabelecimento de um projeto de cooperação continuado que associe, em Portugal, escolas e outras organizações, numa plataforma de partilha solidária que facilite a resolução de carências provocadas pelo furacão Idai. Esta primeira etapa destina-se a tomar conhecimento da realidade e, posteriormente, criar um plano de intervenção coletivo da sociedade civil para uma aprendizagem mútua de cooperação compartilhada.
A ACERT participará com quatro dos seus espetáculos: Para Ti Sophia, A Ilha Desconhecida, 20 Dizer, participando os músicos de O Pequeno Grande Polegar num espetáculo especial de tributo a Fran Pérez com os Timbila Muzimba e outros músicos da Galiza. O programa envolverá ainda outros grupos de Moçambique, de França e da África do Sul, sendo, a convite da organização moçambicana, Maria do Céu Guerra a patrona do programa e a Fundação José Saramago a convidada de honra.
Esta digressão conta com o apoio da Direção Geral das Artes/Ministério da Cultura e do Município de Tondela, entre outras entidades que se associam ao projeto.