12 novembro
terça
14:30
teatro Desafios Trigo Limpo teatro ACERT
12 novembro
terça
14:30

teatro

estreia

finta

Preço

7,50€ / Associado: 5€ / Descontos: 6 / Desempregado: 2,50€ / Bilhete família disponível Caderneta Finta: 25€ / Associados: 20€

Calendarização

12 novembro
terça
14:30
Tondela
13 novembro
quarta
21:45
Tondela
14 novembro
quinta
14:30
Tondela
14 novembro
quinta
10:00
Tondela

Desafios

Trigo Limpo teatro ACERT

Desafios
A relação criativa da ACERT com João Paulo Santos e a Companhia O Último Momento teve início em 2005, quando a Companhia esteve em residência artística no Novo Ciclo ACERT, em Tondela, na preparação do seu espetáculo Peut-être. E a relação foi-se estreitando ao longo dos anos, entre residências artísticas e apresentações…

Em 2016, integrado no projeto Cirkus Lab, contruíu-se o espetáculo Não tens coragem?!, uma produção conjunta de O Último Momento, Trigo Limpo teatro ACERT e Na Xina Lua – Grupo de Teatro da Escola Secundária de Tondela, companhia residente do Novo Ciclo ACERT.

E de toda esta vivência foi ficando sempre uma enorme vontade de voltar a criar um espetáculo em conjunto. E dessa vontade nasce esta criação, Desafios, fruto de duas residências artísticas em Tondela, com estreia marcada para Novembro de 2019 no FINTA – Festival Internacional de Teatro ACERT e com circulação nacional no primeiro trimestre de 2020.

Sinopse
Desafios é um projeto de cruzamento do novo circo com o teatro, com uma forte componente cenográfica, desenvolvendo uma narrativa comum em que os dois mundos criativos se cruzam, provocam e desenvolvem.

Desafios é o confronto entre o físico e o etéreo, entre o saber e o descobrir, entre o mexer-se e o ficar parado… Um desafio constante de analisar a existência à luz de um quotidiano diferente, em que o mundo se divide entre quem arrisca e quem se mantém, entre os que aceitam os desafios e os que, por medo, continuam a pisar o chão, receosos e inseguros.

Desafios recria a vivência quotidiana das comunidades, das nossas comunidades, a vivência no interior de um país do mundo mas remetido a viver uma pequenez, social e mundana, castradora da alegria de viver universalista e livre que anteviu aquando da Revolução de Abril.

Ficha técnica e artística

Dramaturgia: Coletiva a partir das Cartas a Theo de Vincent Van Gogh
Encenação: João Paulo Santos e Pompeu José
Cenografia: Pompeu José e Zé Tavares
Música: Miguel Cordeiro (ao vivo)
Movimento: Juliana Gamas
Figurinos: Adriana Ventura
Interpretação: António Rebelo, Gustavo Cunha, Ilda Teixeira, João Filipe Santos, João Paulo Santos, Pedro Sousa, Sandra Santos e convidados
Luz: Paulo Neto
Som: Luís Viegas
Design gráfico: Zé Tavares
Engenharia Mecânica: Ângela Neves e José Salgueiro Marques - Departamento de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial do Instituto Politécnico de Viseu – Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu
Produção: Marta Costa e Rui Coimbra
Secretariado: Paula Pereira e Rui Vale